As 3 validações iniciais que reduzem a probabilidade da sua startup falhar e aumentam sua chance de ser investido

validações iniciais

As 3 validações iniciais que reduzem a probabilidade da sua startup falhar e aumentam sua chance de ser investido

 

“Existe o risco que você não pode jamais correr, e existe o risco que você não pode deixar de correr.”

Peter Drucker

 

Há sempre um risco em qualquer negócio. Não há como eliminar, nem reduzir a incerteza sobre o futuro, mas é possível antever o fracasso independente do que o futuro nos reserve.

As startups falham por diversos motivos, e a grande maioria falha. Falhar faz parte do empreender. Mas não precisamos falhar por termos sido cabeça dura, por termos nos apaixonado por nossa solução, por não termos dado a atenção necessária aos sinais que recebemos ou por termos, deliberadamente, decidido ignorá-los.

Parte das startups falha pela falta de recursos, algumas por desentendimentos entre os sócios, outras por não terem em seus quadros todas as competências necessárias ao sucesso do negócio, mas a maior parte, ao que indicam os analistas, por construir algo que as pessoas não queriam.

Todos corremos o risco de não conseguir desenvolver a solução pensada, de entrar em conflito com algum sócio, de não conseguir captar recursos em tempo hábil ou atrair pessoas com as competências necessárias para o negócio, e falhar! Todos podemos falhar, mas não devemos falhar por ignorar os princípios do desenvolvimento de clientes e todo o esforço que vem sendo feito para tornar essa metodologia um modelo a ser seguido.

Isso significa estarmos dispostos a aceitar que temos apenas bons palpites (ou boas hipóteses), sustentadas por premissas que por melhor que nos pareçam, não são fatos! Que partimos de achismos e nos apaixonamos por nossa solução e que, por mais dolorido que seja, devemos estar prontos a abandonar nossa ideia sempre que os fatos desmentirem nossas hipóteses.

As 3 validações iniciais

Um modo mentalmente saudável e economicamente viável de falhar é falhar cedo. Isso significa colocar à prova nossas hipóteses mais arriscadas, buscando para isso métodos rápidos e baratos para efetuar esses testes. Podemos e devemos fazer as 3 validações iniciais para evitar o desperdício de tempo, de dinheiro e desgastar nossa saúde. Temos como validar a existência do problema, o potencial de mercado e o conceito da nossa solução antes de investirmos muitos recursos, e não há nenhuma contraindicação em se fazer isso.

A validação do problema

Estamos há dois meses conversando sobre a validação do problema nesse Blog e a consideramos o marco zero de qualquer projeto empreendedor; e também a mais negligenciada das validações. Desenvolver uma solução para um problema inexistente é uma sentença certeira de morte para qualquer startup e ainda assim, a maioria dos empreendedores que conheço prefere seguir sem fazê-lo a ver cair por terra sua brilhante ideia, em muitos casos, natimorta.

Não fuja da validação do problema, pois todos os passos dados sem essa validação correm o risco de ser um desperdício de recursos. E quanto mais você avançar no desenvolvimento da sua ideia, maior será o gasto, mais difícil será se reorganizar e quando a queda vier, talvez você não possa mais se levantar.

A validação do mercado

O tamanho e o potencial de mercado irão garantir a viabilidade econômica e a escalabilidade do seu modelo de negócios e, apesar de difícil, é possível tentar estima-lo antes de colocar muitas fichas no projeto. Vivemos numa era de abundância de informação e sofremos com desatenção que isso gera, mas sabemos o quão importante os mecanismos de busca e a Internet se tornaram para nos ajudar a se organizar e encontrar soluções aos nossos problemas. Use essas ferramentas para mapear seu mercado potencial.

A validação da solução

Eventualmente a mais cara de todas as validações, mas ainda assim fazê-la, com certeza será mais barato que desenvolver um produto e lança-lo num mercado para só então descobrir que não era bem isso que as pessoas queriam, ou que ainda não estavam preparadas para adotá-la. Use landing pages para pré-venda, concierge para entregar a solução, protótipos e MVPs antes de investir numa solução completa. Encontre o encaixe entre o problema e a solução e não pare mais de iterar com seus clientes.

Fazer as validações iniciais, adotar as metodologias para o desenvolvimento de clientes e a mentalidade lean não irão garantir seu sucesso, mas garantirão que você esteja em pé e pronto para recomeçar no caso de sua startup falhar.

Além disso, num país que remunera a aplicação em seu título mais seguro a uma taxa básica de juros de 15% a.a., qualquer pessoa com dinheiro precisará de muito estímulo e de algumas garantias para investir em sua startup. Por melhor que pareça sua ideia não conheço nenhum investidor que queira perder dinheiro e, exatamente por isso, todos irão lhe cobrar ao menos essas 3 validações iniciais.

Artigo originalmente publicado em 25/12/2015 e revisado em 23/08/2017.