Crise: oportunidade para inovar

oportunidade para inovar

Crise: oportunidade para inovar

“Quando escrito em chinês a palavra crise compõe-se de dois caracteres: um representa perigo e o outro representa oportunidade. ”
John F. Kennedy

A etimologia da palavra crise remete ao termo grego krisis, que indica um momento de separação, de decisão, de julgamento. Um momento decisivo!

Nas crises, parte das empresas sucumbe, mas parte delas se fortalece. A crise que vivemos hoje no Brasil deve-se em parte à inserção subordinada do país na economia mundial e, em parte, ao egoísmo das lideranças políticas que parecem não se importar com as consequências de seus atos. Mas há também, em nossa visão, um componente mais amplo, em uma camada não tão visível do processo, que coloca em xeque o status quo e abre espaço para repensarmos a forma de como iremos conduzir tanto nossas vidas, quanto os negócios nesse novo milênio.

Por isso, nós aqui da Soul assumimos uma postura de nos mantermos focados em nossos projetos, independentemente dos prognósticos para o próximo ano, pois acreditamos que apesar de toda a incerteza do momento uma coisa ainda é certa: quem ficar parado, será atropelado por aqueles que estão construindo o futuro.

E qual é o futuro que você deseja construir?

Sabemos que empreender é um modo de pensar, um jeito de agir para transformar ideias em realidade. E que as ferramentas e metodologias atualmente disponíveis nos permitem exercitar a criatividade, testar possibilidades e criar valor mesmo com recursos escassos. O próprio modelo lean manufacturing da Toyota nasceu em virtude da escassez de recursos enfrentada pelo Japão no pós-guerra e dele não só emergiu uma nova forma de produzir, mas um novo modo de pensar os negócios.

Mais que nunca, nós empreendedores, devemos trabalhar para criar o novo, para mudar o que não está bom, o que não mais responde aos nossos anseios e o que não é mais sustentável.

Devemos pensar em novos modelos de negócio que não apenas resolvam os problemas dos nossos segmentos de clientes, mas que também contribuam para a construção de um mundo melhor. Com mais ética, com menos desigualdade e que proteja e preserve nosso meio ambiente.

Precisamos de empreendedores com clareza de propósito, que busquem não só a riqueza, mas que persigam a realização através da transformação. Que conheçam a si mesmos, que compreendam o outro e consigam enxergar o todo, o sistema.

Destruição criadora

Pela seta do tempo, temos certeza de que o futuro será sempre diferente do presente e que as coisas irão mudar. Se há algo sendo destruído, o novo emergirá. Mas caberá a nós, empreendedores, intra-empreendedores, criativos, inovadores, acadêmicos ou engajados, definir o que irá emergir no lugar do que já não mais responde aos nossos problemas.

Devemos encarar esse momento como uma oportunidade de transformação, valorizar nossa criatividade e fazer uso do nosso poder de inovação.

O Brasil não precisa de mais gente reclamando da situação. Precisa de gente disposta, preparada, disciplinada e focada em criar soluções.

Em 2016, vamos plantar aqui as sementes da inovação!