EFFECTUATION – O Mindset do Empreendedor

EFFECTUATION – O Mindset do Empreendedor

 “Você é apaixonado pela sua ideia? Pois, não devia. Isso pode atrapalhar você a desenvolver melhor a ideia e ela nem sempre é a mais lucrativa.”

Alexander Osterwalder

A primeira vez que ouvi falar de Effectuation  foi em uma palestra proferida por um representante da Campinas Startups no evento de abertura do Desafio Unicamp de 2013. Foi uma fala rápida, mas atraiu minha atenção instantaneamente. Sai de lá pensando se realmente era possível ensinar pessoas a pensar como os grandes empreendedores de sucesso pensam?

Sempre considerei o peso dado aos cases de sucesso nas escolas de administração um pouco demasiado pelo fato de que, na vida real, ninguém é capaz de reproduzi-los, seja por sua complexidade, seja pelas oportunidades únicas do ambiente que não irão mais acontecer. Mas, em minha pesquisa após sair do evento, encontrei a Saras Sarasvathy  – orientanda do Prêmio Nobel Herbert Simon – e seu esforço para entender e encontrar uma maneira de levar seus resultados de pesquisa ao público em geral em seu site Effectuation.org. Posso dizer que fiquei surpreso com os avanços que ela havia feito e, ao mesmo tempo, ainda reticente quanto à aplicabilidade desse conhecimento.

Para quem nunca ouviu falar, o effectual action é uma antítese do modo dos executivos pensarem quando estão à frente de grandes empresas – o pensamento causal: defino os objetivos e depois organizo os recursos necessários para atingi-los.

No pensamento effectual os resultados a serem alcançados não são exatamente conhecidos e sim os recursos empregados. Parte-se dos conhecimentos, competências e recursos disponíveis e deles derivam os resultados (a posteriori) – o que Sarasvathy chamou de Pássaro na Mão. Avalia-se inicialmente o risco da empreitada caso ela dê errado e não os possíveis ganhos no caso dela dar certo (Riscos Aceitáveis). Com isso em mente, quem são possíveis parceiros com competências e recursos complementares que topariam dividir os riscos e cocriar uma solução? (Colcha de Retalhos). Obviamente, no meio do caminho acontecerão coisas inesperadas: Como podemos transformá-las em oportunidades? (Faça do limão uma limonada) e por fim, mas não menos importante, como o futuro é incerto, vamos cria-lo (Visão de Mundo) em ciclos de effectual (Effectual Cicle).

Effectuation

Convivo com dois empresários de sucesso: meu sócio, Rogério Cabral e meu pai, Nivaldo, e consigo identificar em ambos esse mindset. Eles são experientes e já passaram por muitos desafios  e hoje agem desse modo, mas isso não prova que podemos aprender a pensar como eles.

A resposta positiva – sim, é possível ensinar as pessoas a pensar como os grandes empreendedores! – veio quando nos aprofundamos nas metodologias de Desenvolvimento de Clientes de Steve Blank e no Lean Startup de Eric Ries, e esse modus operandi fez todo o sentido. Co-criação, teste e validação estão no cerne do Design Thinking, do Desenvolvimento de Clientes e do Lean Startup e hoje acredito que o que esses visionários conseguiram foi transportar um modo de pensar de alguns (intuitivo), identificado por Sarasvathy como effectuation, para métodos científicos aplicáveis por qualquer um com atitude empreendedora!

A Soul Social vêm se desenvolvendo com base no effectual action e já pivotou algumas vezes desde 2012 para oferecer soluções que realmente tenham valor para aqueles que desejam empreender, mas sempre mantendo seu propósito, sua missão[1] e seus valores.

Gosto muito das ideias de Simon Sinek e recomendo à todos os empreendedores que assistam o vídeo Golden Circle no TED TALKS. Tenho certeza que ficará claro para todos que, se queremos empreender com convicção e em busca de realização pessoal (não somente financeira), será preciso ter claro o nosso propósito e nossa missão.

 

 

 

Como adverte Alexander Osterwalder, não devemos nos apaixonar por nossas ideias! Aqui na Soul costumamos dizer aos nossos mentorados que se formos nos apaixonar por algo, que seja pelos problemas que queremos resolver, pois uma vez firmes em nossa missão e com clareza nos nossos propósitos, pivotaremos sem dor quantas vezes forem necessárias até estruturarmos nossos negócios.

[1] Nascemos para auxiliar pessoas empreendedoras a concretizar suas ideias, viabilizar seus projetos e, mais recentemente, após o desenvolvimento de novas competências em marketing digital, a acelerar o crescimento dos seus negócios.