Qual a tese de negócios da sua Startup?

Qual a tese de negócios da sua Startup?

 

“Seu Plano de Negócios não sobreviverá ao primeiro encontro com a realidade. A realidade sempre será diferente. Nunca estará no plano.”

Jeff Bezos

 

No sábado, dia 28 de março de 2015, durante o Desafio Unicamp 2015, tivemos o privilégio de escutar uma pessoa com grande conhecimento e experiência prática em empreendedorismo nos Estados Unidos (e de fora do Vale do Silício!), o Professor Stephen Fleming, da Georgia Tech Institute of Technology, sobre o que eles entendem por Evidence-based  Entrepreneurship (empreendedorismo baseado em evidências) e como eles aplicam esse conhecimento prático na geração e incubação de centenas de empreendimentos de base tecnológica simultaneamente, fomentando um grande número de negócios de sucesso, apesar de que, como sabemos, a grande maioria das nossas ideias ser ruim e falhar.

Suas bases teóricas são muito próximas às de Steve Blank, de quem ele, inclusive, aproveita grande parte da apresentação. Mas sua experiência é diferente, bem como sua trajetória e também o ecossistema no qual o Georgia Tech é central. O que nos trouxe insights interessantes, bem como um approach muito mais mão-na-massa do que encontraríamos em professores pelas bandas de cá. Foi sem dúvida uma experiência muita rica proporcionada às mais de 300 pessoas presentes no evento e que também pode ajudar você a colocar as ideias no lugar.

Apesar da ideia de incerteza estar presente desde sempre no mundo dos negócios, há muito mais incerteza envolvida em negócios que buscam atender novos mercados, ou ainda, criar mercados ao difundir suas inovações, concorda? Especialmente após a bolha do ponto.com em 2000, a preocupação em mitigar os riscos envolvidos nesse tipo de empreendimento começou a receber o apoio de novas metodologias que se aproximam nas premissas de que novos negócios se iniciam por palpites (guesses), ou hipóteses. Fazem parte desse corpo, o Desenvolvimento de Clientes (Steve Blank), o Lean Startup (Eric Ries) e agora o Evidence-based entrepreneurship (Georgia Tech – Stephen Fleming). O problema comum enfrentado parece ser o de que, ao menos até 2000, costumávamos levar mais a sério do que deveríamos nossas hipóteses e investíamos milhões em palpites furados de forma natural e ainda apoiávamos nossas decisões em diversas planilhas de Excel com as projeções malucas e desconectadas da realidade, aparentemente, sem se importar com isso (Planos de Negócio).

O novo pensamento dominante apregoa que nossa ideia não tem valor até que possamos provar nossa tese. Que não devemos perder tempo projetando receitas e analisando os custos de algo que pode nem vir a ter um lugar no mercado. Podemos ter as melhores ideias do mundo, mas se elas não se apoiarem na realidade, elas irão falhar. Nesse sentido, nada substitui a observação empírica e a experimentação científica. Chame suas ideias de premissas, hipóteses, palpites, salto de fé, startup tesis, o que você precisará fazer nos momentos iniciais da sua startup é tentar validá-las e torna-las fatos! Sem fatos, você permanece na incerteza extrema e não caminha em direção a um Modelo de Negócios que seja, ao mesmo tempo, atrativo para seu cliente, factível de ser implementado e economicamente viável.

O primeiro passo a ser dado nesse sentido é formular sua tese de negócios. Qual sua tese de negócios? (startup tesis)

Para isso precisamos recorrer aos primeiros passos que demos na construção do nosso Modelo de Negócios , verificando quem são os nossos Segmentos de Clientes e as nossas respectivas Proposições de Valor (seu cliente não se importa com sua tecnologia, ele quer ter seu trabalho terminado, seu problema resolvido, seu sofrimento reduzido, sua alegria aumentada e seus sonhos atingidos) e formular uma frase que responda as seguintes perguntas:

  • Quem é seu cliente?
  • O que é o seu produto?
  • Porque o cliente irá comprar o seu produto?
Startup teses
Extraído da apresentação utilizada por Stephen Fleming, anexa ao post

 

Esse é o core do seu negócio, se essa tese falhar tudo o mais cairá juntamente com ela. Sua tese foi construída com base em hipóteses e é esse conjunto de hipóteses que precisa ser colocado à prova de maneira organizada e sistemática afim de provar sua tese. No próximo post falaremos da importância de se sair do prédio e conversar com as pessoas para fazer isso de maneira eficiente e que traga insights úteis ao amadurecimento do seu projeto.